domingo, 27 de dezembro de 2009

Retrospectiva 2009

Dois mil e nove está dando os últimos suspiros. Suspiros desacalentados. Pra mim, um ano complicado, prefiro imaginar que o futuro será menos arredio. Numa noite de domingo, um sujeito ressacado, sozinho por opção ou pela falta da mesma, tenta fazer um balanço de um período cronológico que se encerra. Na esquina, o taxista que trabalhou a semana toda, lava seu táxi com o som nas alturas: "Rimas de vento e de vela, vida que vem e que vai, a solidão que fica e entra me arrebentando contra o cais." Dá uma vontade irreprimível de chorar. Não que a música tenha tamanho poder de desmoronamento emocional, mas é porque a vida no domingo de noite, é triste mesmo. A rua vazia, apenas o taxista, um avião que chega não sei de onde, o pensamento como um radar tenta buscar uma idéia perdida, o tempo que inevitavelmente segue vagarosamente castigando: "a primeira hora de vossa vida é uma hora a menos que tereis para viver." Sêneca.

Todo esse lúgubre cenário me inspirou (ou não) a pensar o ano de 2009. Foi um ano de altos e baixos, como todos os outros anos, como toda a vida de qualquer um. Palavras cheias de mistérios são aquelas que os adivinhos nos emitem. Sempre que eu conhecia alguém, normalmente uma garota, e dizia que era do signo de áries, as reações eram as mais imprevisíveis. Muitas me deixavam falando sozinho, interjeitavam: "xiii, tu és problemático!" Ora bolas, por causa de um signo! Isso me deixava intrigado, à medida que ia me afastando de toda possibilidade de adivinhação do futuro. Quando trabalhei no Programa Parceria nos Morros da Prefeitura do Recife, durante os espaçosos momentos de ociosidade, lia o horóscopo do dia anterior para ver se batia. Esses horóscopos falam do futuro com esperança: Ano que vem, se você se abrir, um amor poderá surgir. Nos negócios, primeiro cautela, depois audácia. Me lembra a cartomante de Esaú e Jacó, livro de Machado de Assis, "coisas futuras, coisas futuras". Mas, até que tive uma surpresa. Como nasci na noite do dia 20 de abril, nunca sabia ao certo se meu signo era touro ou áries. Essa semana, resolvi consultar e aproveitei para fazer um tal de mapa astral (Eita, Dodô tá fudido mesmo!) e para minha surpresa, muitas coisas me retrataram com precisão. Eu me vi nessa análise:

"Sua excessiva generosidade combinada com a sua natureza superemotiva causam-lhe numerosos desapontamentos sociais e prejuízos financeiros. Você também é bastante parcial, imprudente, inconstante e tende a viajar e a comer em demasia. Você é muito carente emocional e sentimentalmente. Sua melancolia e pessimismo fazem com que os outros acabem por evitar-lhe. Sua timidez e falta de confiança em si mesmo, dificultam suas relações intimas com as pessoas do sexo oposto. Ë preciso corrigir esta tendência através de exercícios que aumentem a confiança e a auto-estima. Você necessita muito de amar e de ser amado. O amor e a beleza são muito importantes em sua vida e poristo deve fazer uso de seus talentos artísticos. Você é romântico e aprecia as qualidades femininas e masculinas em termos tradicionais."

Tanta preocupação com o futuro e o passado! Desde Epicuro já sabemos que não vale a pena confiar tamanha carga nessas potências invisíveis. Mas, ao menos sobre o passado posso tecer certos comentários. Uma análise certamente embasada nessa momento em que escrevo, influenciado pelo disco de Jessé que o taxista está escutando, pela memória do que poderia ter sido, pelo inquieto silêncio da rua. Se 2009 teve pontos positivos, o mais importante, sem dúvida, foram as aulas do mestrado. Tive contato com textos que me marcaram profundamente, todas as disciplinas que cursei me trouxeram coisas novas e me deixaram excelentes impressões. Não estou aqui para jogar confete em professor, até evito citá-los para não parecer puxassaquismo Além do mais, eles não passam por aqui. Mas, ter conhecido professores como Anco Márcio, Roland Walther, Lourival Holanda, os excelentes textos da professora Ermelinda, salvaram o ano de uma imagem negativa, de fato.

Financeiramente, foi um ano ruim, mas que no final, deu pra respirar um pouco. Fiz três viagens para longe: Belém em janeiro (http://ceusemfronteiras.blogspot.com/2009/02/forum-social-mundial-um-outro-mundo-e.html) ; Rio de Janeiro em Julho ( http://ceusemfronteiras.blogspot.com/2009/07/uma-viagem-ao-rio-de-janeiro.html ) ; e uma para São Paulo recentemente em dezembro. Fiz novos amigos, como Karuna e Bebeto, entre outros, me afastei de alguns. Coisas da vida mesmo. Me apaixonei duas vezes. Continuo sozinho. Está na hora de 2009 acabar mesmo, seus altos e baixos já açoitaram demais minha carne. Se os astros são capazes de mudar alguma coisa pela simples mudança de um número ou pela chegada de uma nova estação, estou pronto para enfrentar, e que venha o melhor!

Desejo que o futuro seja melhor para todos nós. Ano que vem, terei que escrever uma dissertação e espero que o ano seja mais estável, ao menos no campo das paixões. Que a CAPES (ou qualquer outro fundo financiador) pague minha bolsa direitinho, que os amigos me compreendam e vice-versa, que o blog continue, que todos tenham saúde, que o Náutico seja campeão e volte para a primeira divisão. Beijo no coração!

p.s.: Vou deixar as três postagens que eu mais gostei de ter escrevido em 2009.




Esqueci de falar do mundo... o que é isso mesmo?!
Bom 2010!

6 comentários:

Anônimo disse...

Pra mim, o texto mais bonito de 2009. Muito sereno. Bjos!

Anônimo disse...

Pra mim, o texto mais bonito de 2009. Muito sereno. Bjos!

Dani the Girl disse...

Fui eu aí em cima :)

Fred Caju disse...

Muito bom, não conhecia seu blog, Mestre Odomiro! Quero até autorização para repostar "O Sonhador" no meu. É possível. Abraço acochado do Negão.

Dodô disse...

Claro Fred, mas num esquece de botar o autor. Ah, quanto ao abraço acochado do negão, eu tô dispensando. hehehe! falow, meu caro!

Mariana Azevedo disse...

Dodoiévski, adoro teu blog, nunca mais tinha passado por aqui... Belo post!
beijao