terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Morreu na Ucrânia o DJ Portanov

Na madrugada desta terça-feira, horário brasileiro, manhã fria na cidade de Odessa, sul da Ucrânia, foi encontrado em sua residência, desacordado, o famoso DJ ucraniano Yaroslav Sviatopolich Portanov, 30 anos, natural da mesma cidade ucraniana. Foi levado ao hospital, mas já na ambulância foi constatada sua morte decorrente de uma parada cardíaca. Os primeiros laudos médicos apontam para uma forte intoxicação que teria levado o DJ a desvanecer e, posteriormente, ao óbito. Amigos mais próximos contam que Portanov voltou muito abatido da última turnê na América do Sul, culminando com uma apresentação no Brasil em que chegou a ser ofendido pelo público. Além disso, uma paixão mal resolvida com uma garota alemã, teriam levado o artista ao fundo do poço emocional, internando-se por intervalos cada vez mais longos em sua residência (foto acima) e aumentando cada vez mais as dosagens de substâncias entorpecentes.

Após a divulgação da morte do DJ Portanov, milhares de pessoas foram prestar solidariedade à família, bem como levaram cartazes com dizeres do tipo: "Portanov eterno", ou ainda, "O show não pode parar." Uma multidão promete acompanhar as exéquias no cemetério Beresina, na cidade portuária. Portanov era famoso pela ecleticidade, variando seu estilo musical desde a música eletrônica, passando pela tendência cigana, ritmos latinos e, inclusive, música erudita. Na penúltima passagem pelo Brasil, em setembro, o artista organizou uma festa onde a alternância entre música eletrônica e erudita, ganhou merecido destaque da imprensa local, numa combinação explosiva que envolvia o Réquiem alemão de Johannes Brahms com freneticidade do DJ sérvio, Jesus Raves.


A morte de Portanov deixará uma lacuna na música internacional, sucessos consagrados pela sua verve musical ficarão esquecidos para sempre na noite brasileira. Quem, senão o DJ ucraniano, se atreveria a discotecar músicas como "a dança da bucetinha arreganhada", "as alucinações de Serguei", "agaetis byrjun", entre outras. Além da composição do Funk do Zaidan, interpretado uma única vez pelas Barbis de Olinda. A partir de hoje, tudo ficará apenas na memória. Deixamos à família nossas condolências e saudações ao mais brasileiro dos DJ´s do leste europeu.

5 comentários:

Dani The Girl disse...

Me pegou de surpresa assim como a morte de Michael...kkkkkkk.. Tô achando que isso é pra ser o homenageado do sobrecú 2010. Oeeeee!!
Bjos.

fernanda disse...

Como assim?? Eu nunca fui numa balada em que ele discotecou e não vou ter mais oportunidade com sua morte! Não acredito!!
Bjs,
Fernanda M.

Alisson da Hora disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk é emblemática essa foto em que ele aparece em frente a uma oficina de ar-condicionado...saudades do frio de Odessa...

minhas condolências...

gagarin disse...

é uma pena ...ainda bem q temos o recurso de reavivar zumbis

Aberração disse...

O mundo chora a morte de Portanov, ele não merecia a homenagem do Sobrecú, mas todo o carnaval de Olinda deverá saudá-lo!

Morre o mito, fica a lenda!