terça-feira, 28 de outubro de 2008

Meu Mundo Real (ode to special k)


Meu corpo sumiu
o que sobrou de mim foi uma lágrima de areia.
Sempre que sinto o fim
peço, imploro, para retornar ao início
Invoco amigos e parentes.
Eu clamo por não-ser,
mas a vontade de viver prevalece.
Dessa maneira, tento costruir alguma coisa sobre a vida.
Mas, minhas construções são feitas só de areia, fina areia
Num galpão onde as pessoas insistem em me reconstruir.
A vida já me deu várias provas de minha incapacidade.
Continuo pelos outros
Nesse cesto de caranguejos
Todos morrem e anseiam para si a morte
Mas não deixam ninguém morrer sozinho.
O que fazer para me reconstruir?
Agradeço aos que me reconstruíram.
Mas, eu...
terei forças, motivação, combustível, para investir num projeto fadado à mediocridade?
Meus olhos são a chave que abrem um grande mistério
Minhas lágrimas são de areia
e hão de me resgatar
num imenso deserto.
Um deserto de realizações:
projetos-oásis-alucinações
Eu sonho com o improvável
Viver ou Morrer
Preciso decidir viver e se for...
Recomeçar!
Objetivar algo.
Falhar outra vez!

Um comentário:

tab'ta disse...

sai ate igual mas igualmente sempre opto por...
Recomeçar!
Objetivar algo.
Falhar outra vez!

ew vida.